Filmes

Hayao Miyazaki

INFORMAÇÕES
Nascimento: 5 de janeiro de 1941
Local: Bunkyo, Tóquio, Japão
Cônjuge: Akemi Ôta (desde 1965)
Ocupação: Diretor, roteirista, animador, autor e desenhista de mangá.
Atividade: 1963 – até o momento.
Influências: Osamu Tezuka, Roald Dahl, Antoine de Saint-Exupéry, Jean Giraud, Nick Park, Ursula K. Le Guin.

 

FILMOGRAFIA

/Pré-Ghibli
1979 – Lupin III: O Castelo de Cagliostro
1984 – Nausicaä do Vale do Vento

/Filmes Ghibli
1986 – Laputa: O Castelo no Céu
1988 – Meu Vizinho Totoro
1989 – O Serviço de Entregas de Kiki
1992 – Porco Rosso
1997 – Princesa Mononoke
2001 – A Viagem de Chihiro
2004 – O Castelo Animado
2008 – Ponyo
2013 – Vidas ao Vento
2020 – Boro the Caterpillar

/Curtas-metragens
Exibidos somente no Museu Ghibli

2003 – Mei and the Kittenbus
2006 – The Day I Harvested a Planet
2006 – Water Spider Monmon
1995 – On Your Mark (videoclipe de Chage & Aska)

/Televisão

1978 – Conan, o Rapaz do Futuro
1980 – Lupin III (2 episódios: #145, Albatros das asas da morte; #155, Adeus, amado Lupin)
1984 – Sherlock Hound (6 episódios: A Pequena Cliente, O Rapto da Sra. Hudson, O Ruby Azul, O Tesouro do Mar, Aéropostale, O Sumiço do Ouro)

/Relacionados

2013 – The Kingdom of Dreams and Madness (Documentário)

História

Hayao Miyazaki nasceu em 5 de Janeiro de 1941, em plena 2ª Guerra Mundial. O pai de Hayao, Katsuyiki Miyazaki era diretor de uma empresa familiar que fabricava lemes de aviões. Esse fato teve uma grande influência na vida do diretor que hoje é um apaixonado por aviões e tem uma relação de amor e ódio com armas e guerras. Miyazaki também lembra muito sua mãe em seus filmes: durante boa parte da infância do diretor, ela esteve hospitalizada com tuberculose, situação semelhante à mãe de Mei e Satsuki em Meu Vizinho Totoro. A personalidade de sua mãe volta a aparecer na personagem Dola de Laputa: Castelo no Céu, fato que ilustra sua importância na vida do filho.

Ao longo da infância, a família Miyazaki se muda diversas vezes, mas mesmo assim o diretor conclui seus estudos primários em 1958, mesmo ano em que ele assiste ao primeiro filme de animação colorido do Japão. Apesar do interesse no longa, no ano seguinte Miyazaki começa seu curso superior em Ciências Políticas e Econômicas. Durante a faculdade o diretor continua a se envolver com desenhos animados e ao concluir o curso em 1962, começa a trabalhar no estúdio de animação Toei. Sua primeira função foi a de intervalador – responsável pela junção das películas de desenho – no filme Watchdog Bow Wow. Devido à sua formação em, Miyazaki participava também ativamente do sindicato local. Foi na Toei Animation que o diretor conheceu Isao Takahaka – hoje um de seus maiores parceiros – a Akemi Ota, sua futura esposa. Seu primeiro trabalho de expressão foi no longa Prince of the Sun, consolidando a parceria entre Miyazaki, Takahaka e Yasuo Otsuka, que continuou mesmo após a saída dos 3 da Toei em 1971.

Durante os Trabalhos seguintes, o diretor fez muitas viagens ao exterior para países como Suíça, Argentina e Itália, cujas paisagens serviram de inspiração para muitos filmes. Em 1979 Miyazaki dirigiu efetivamente sua primeira série para a televisão japonesa: Future Boy Conan. No ano seguinte dirigiu seu primeiro longa: O Castelo de Cagliostro (lançado no Brasil pela Focus Filmes em 2008).
Paralelamente com esses trabalhos, o diretor produzia uma de suas principais obras, a saga em manga Nausicaä do Vale dos Ventos que foi futuramente adaptada para anime. O longa fez tanto sucesso que permitiu que o diretor concretizasse a criação do Studio Ghibli junto com Isao Takahaka. Desde então, o estúdio vêm produzindo animações de alta qualidade que fazem com que seja a empresa de animação mais influente do Japão até hoje.

O filme que garantiu sucesso internacional ao diretor foi Princesa Mononoke, filme que trata de guerras e ecologia. Miyazaki mostrou-se vanguardista ao abordar abertamente esses temas desde o começo de sua carreira. Após o sucesso do longa que bateu o recorde de bilheterias no Japão, o diretor anunciou o fim de sua carreira. Apesar disso, incapaz de largar a animação o diretor voltou ao trabalho lançando em 2001 o filme que lhe daria o Oscar de Melhor Animação, A Viagem de Chihiro. Desde então, apesar da idade avançada e os problemas de saúde o diretor continua elaborando filmes de sucesso como o Castelo Animado e Ponyo. Depois do lançamento de seu mais recente longa, em 2008, Miyazaki anunciou que passaria alguns anos treinando jovens animadores para trabalharem no Studio Ghibli.

Em 2013 lançou o que viria ser o seu então último filme, anunciando posteriormente em 2014 a sua aposentadoria definitiva dos longas metragens, dedicando-se apenas a projetos menores, como mangás e curtas para o Museu Ghibli.

Em 2015 anunciou que estava trabalhando em seu primeiro curta inteiramente em CG para o Museu Ghibli, intitulado “Kemushi no Boro”. Algum tempo depois, Hayao Miyazaki alegou que o transformaria em mais um longa, abandonando mais uma vez a sua aposentadoria. Kemushi no Boro tem previsão de terminar em 2020.

*Atualizado em Janeiro/17.

Comentários

Comentários